*Por Rebeca Garcia de Paula

Lavai-vos, purificai-vos.
Isaías 1:16a

 

Neste tempo de pandemia (COVID-19) criamos um novo hábito: evitamos saídas desnecessárias e, quando necessárias, logo ao chegar em casa, higienizamos tudo que veio conosco com álcool 70% e tomamos um bom banho, “da cabeça aos pés”, para reduzirmos a chance de nos contaminarmos e aos queridos de nossa casa. Eu já tinha um certo “TOC” com limpeza, imaginem agora! Brinco dizendo que é meu “ritual de purificação”.

Estamos preocupados com o coronavírus, e com razão, cuidando para evitar o contágio, tanto nosso, quanto do próximo, porém nem sempre paramos pra pensar que há algo muito pior que um vírus habitando dentro de nós, e que se não nos “lavarmos” e nos “purificarmos” interiormente, perderemos não somente esta vida física, mas também a espiritual!

O nome deste habitante indesejado em nós é pecado, o herdamos do nosso representante Adão. Já nascemos contaminados!

Entretanto, diferentemente do coronavírus, para aquele o próprio Deus conduziu a solução para a humanidade: “Porque, como, pela desobediência de um só homem [Adão], muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só [Jesus Cristo], muitos se tornarão justos” (Romanos 5:19).

Isso mesmo! “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16). O Senhor enviou Jesus, o Deus Filho, para nos livrar de algo que não poderíamos fazer por nós mesmos! Contudo, o que devemos fazer então?

“Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados” (Atos 3:19). Esse é o mote principal do Evangelho: precisamos nos arrepender e receber a Cristo como o nosso “purificador”. Depois deste encontro pessoal e transformador com Ele, em que recebemos um “banho” espiritual, ficamos livres da culpa do pecado, mas não ainda de sua presença, o que acontecerá somente no Céu. Entretanto, na nossa caminhada com Ele aqui, vamos sendo livres do poder do pecado sobre nossas vidas; se em algum momento falharmos, precisamos pedir perdão e voltar à obediência.

O fato é que, após um bom banho, não queremos nos sujar novamente! Já pensou, como se após higienizar tudo com álcool 70% e se lavar “da cabeça aos pés”, você gostaria de pegar em algo sabidamente contaminado pelo coronavírus logo em seguida? Obviamente que não! Assim também não faz sentido recebermos o lavar regenerador de Jesus em nossas vidas e querer voltar deliberadamente à prática do pecado…

“E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram, eis que se fizeram novas” (II Coríntios 5:17). Somos uma nova pessoa quando seguimos a Jesus, o processo da “lavagem” e “purificação” do pecado se tornam um hábito em nossas vidas! A obediência à sua prescrição, torna-se uma consequência da nossa gratidão por tudo que Ele já fez, faz e ainda fará!

Deixe um comentário

O seu email não pode ser publicado.