*Por Rebeca Garcia de Paula

Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.
I Tessalonicenses 5:18

 

Hoje quero refletir sobre essa prescrição do nosso Grande Médico que nos leva a ter uma vida de gratidão. Em tudo precisamos ser gratos? Sim, porque esta é a vontade de Deus, não por nós mesmos, pois seria impossível, mas sim em Cristo Jesus, que nos lembra que tudo é possível ao que crê! (Marcos 9:23)

A Palavra de Deus está repleta de textos nesse sentido, vejamos alguns:

“Rendei graças ao Senhor, porque Ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre.” (Salmo136:1)

“O que me oferece sacrifício de ações de graças, esse me glorificará; e ao que prepara o seu caminho, dar-lhe-ei que veja a salvação de Deus.” (Salmo 50:23)

“Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo.” (Efésios 5:20)

“Sede agradecidos… com gratidão em vosso coração. Habite ricamente em vós a Palavra de Cristo. E tudo o que fizerdes, seja em palavras, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por Ele graças a Deus Pai.” (Colossenses 3:15 a 17)

“Perseverai na oração, vigiando com ações de graças.” (Colossenses 4:2)

Percebamos a interconexão deste tema com os demais que já trabalhamos desde o início dessa série de devocionais: alegria/contentamento no Senhor; vida de oração; compreensão do tempo de Deus, diferente do nosso; descanso no Senhor versus ansiedade humana; aplicabilidade da Palavra como nossa prescrição divina. Que maravilha! Essa é a Bíblia! Todos os textos estão inter-relacionados, de modo que um conceito leva ao outro, bem como um atitude à outra.

Temos recebido do Senhor muito mais que merecemos ou precisamos. Só isso já seria motivo suficiente para sermos gratos a Ele. Porém, sob essa perspectiva, nossa gratidão estaria baseada nas circunstâncias, e não nele mesmo… Contudo, se nos lembrarmos que Deus, em Cristo Jesus, nos deu algo que jamais poderíamos fazer por nós mesmos, ou seja, o presente da união eterna com Ele, aí sim, podemos saber que qualquer coisa que vier após isso será lucro, sendo ela boa ou ruim ao nosso falho entendimento humano, e Ele então será a real motivação da nossa gratidão, sempre!

Não sejamos murmuradores como foi o povo de Israel ao sair do Egito! Eles tinham acabado de ter sido libertos da escravidão, presenciando o agir sobrenatural de Deus, todavia preferiram focar nas dificuldades do deserto, esquecendo-se de quem estava à frente do cuidado deles! Assim também nos tornamos nós, quando perdermos o foco de quem está agindo poderosamente em nossa história e conduzindo nossa vida, mesmo quando não entendemos a conjuntura que vivenciamos.

Como você está em meio às inesperadas condições desta pandemia? Saiba: um coração grato revela a nossa fonte de fé e o alvo da nossa esperança!

Deixe um comentário

O seu email não pode ser publicado.