*Por Rebeca Garcia de Paula

Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos.
Filipenses 4:4

Essa prescrição do nosso Grande Médico parece estar fora de contexto nos tempos atuais de pandemia… Será que ela é mesmo válida para todas as épocas de nossas vidas? Vamos entendê-la, para que possamos cumpri-la.

Ela diz para nos alegrarmos SEMPRE; mas como? Aqui está o segredo: NO SENHOR! Isso quer dizer que ninguém e nada mais deve ser a nossa fonte de alegria, a não ser o nosso Deus! Se Ele é de fato a nossa fonte, e sendo Ele imutável, eterno, logo nós podemos então compreender como esse “sempre” pode ser possível!

Na carta aos Filipenses o apóstolo Paulo discorre bastante sobre esse tema (aproveite e faça a leitura na íntegra da carta). Ele não estava em um palácio quando a escreveu, desfrutando de dias felizes em sua vida… Pelo contrário, estava na prisão, correndo risco até mesmo de morte por causa do Evangelho de Jesus. Ali ele abre seu coração, mesmo em meio a esse momento de profundo sofrimento, revelando que o Senhor era o motivo central de seu contentamento!

Entretanto, esse não é o único exemplo na Bíblia. Temos várias outras passagens que nos falam nesse mesmo sentido; vamos conferir?

“Regozijai-vos sempre.” (I Tessalonicenses 5:16)

“Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração.” (Romanos 12:12)

“Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no Senhor, exulto no Deus da minha salvação.” (Habacuque 3:17-18)

“Portanto, não vos entristeçais, porque a alegria do Senhor é a vossa força.” (Neemias 8:10b)

Alegrar-nos em Deus, sem dependermos de outras pessoas ou das circunstâncias que nos cercam, não é apenas desafiador: é sobrenatural! É o agir do Seu Espírito (o Espírito Santo) em nós! “O fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra essas coisa não há lei.” (Gálatas 5:22-23)

Sim, esse é o mesmo Espírito que nos assiste em nossa fraqueza e intercede por nós (Romanos 8:26-27). “O próprio Espírito [Santo] testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros de Deus e coerdeiros com Cristo; se com Ele sofremos, também com Ele seremos glorificados. Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada por nós” (Romanos 8:16-18). Haveria maior motivação que essa para nós? Saber que a eternidade que nos aguarda nem um pouco se compara com tudo o que passamos aqui, no presente? Tendo isso em mente, não se torna possível nos alegrarmos em quem proporciona toda essa nova realidade para nós?

Pense nisso! Sua alegria está baseada na satisfação de Deus ou na dita “felicidade” deste mundo?

Deixe um comentário

O seu email não pode ser publicado.